Governo publica novo reajuste da tabela do Imposto de Renda

O governo publicou no “Diário Oficial” da União nesta quarta-feira (22), a lei que prevê um reajuste escalonado na tabela do Imposto de Renda. O governo já havia definido o escalonamento por meio de Medida Provisória (MP), em vigor desde abril deste ano. A MP foi aprovada pelo Congresso e convertida em lei.

Com o novo modelo, que tem correções diferentes para cada faixa de renda, ficarão isentos os contribuintes que ganham até R$ 1.903,98. O reajuste de 6,5% na tabela valerá apenas para as duas primeiras faixas de renda. Na terceira faixa de renda, o reajuste será de 5,5%; na quarta faixa será reajustado em 5%; e, na última faixa o reajuste será de 4,5%.

Veja abaixo a nova Tabela do Imposto de Renda:

Crédito Imagem: Átimo Software

Crédito Imagem: Átimo Software

A nova tabela vale para o ano-calendário de 2015, ou seja, para as declarações feitas em 2016.

Os reajustes surgiram de negociações do governo com o Congresso para manter o veto da presidenta Dilma Rousseff ao reajuste linear de 6,5% na tabela.

Na lei publicada hoje, a presidenta vetou duas isenções de tributos incluídas no Senado. Uma das medidas previa a isenção de imposto na aquisição de livros por professores e seus dependentes, que poderia chegar a R$ 3.561,50. Também foi vetada a emenda que isentava o óleo diesel do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins).

Na explicação para o veto, a presidenta argumenta que as medidas resultariam em renúncia de arrecadação e que não foram apresentadas as estimativas de impacto e as devidas compensações financeiras.

Com informações: G1 Economia

Consumidores devem gastar menos no Dia dos Namorados, diz pesquisa

O cenário de baixa atividade econômica e restrição ao crédito pode diminuir até mesmo a compra do Dia dos Namorados deste ano. A expectativa de compra dos consumidores para o 12 de junho foi traçada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), mostra que 52,4% pretendem gastar menos na compra em relação ao ano anterior. As principais justificativas desta maioria são o desemprego (25,8%) e o endividamento (24,9%).

Entre os 29,9% que pretendem gastar mais esse ano, 31,3% afirmam querer comprar um presente melhor, 30,8% dizem ser devido aos preços mais altos dos produtos, e apenas 18,5% por causa de uma eventual melhoria de salário. Segundo Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil, o cenário econômico, determinante para o comportamento das vendas, também tem impacto em datas comemorativas como o Dia dos Namorados. “A desaceleração da economia, com o crédito aos consumidores cada vez mais restrito, a inflação elevada e as altas taxas de juros, diminui o poder de compra do consumidor e a principal medida para salvar as finanças é o corte de gastos”, diz.

O valor médio que os entrevistados pretendem gastar é de R$ 138,00, e 76,3% dos entrevistados afirmaram que comprarão apenas um presente esse ano. O preço pode influenciar nesse número: quase 80% dos consumidores acreditam que o valor do produto está mais alto que em 2014.

Quando analisado o perfil de quem vai presentear no Dia dos Namorados, 67,9% pretendem comprar presentes para o esposo(a) e 26,2% para o respectivo namorado(a). E são os homens os que mais pretendem agradar o cônjuge: 76,7% contra 59,6% entre as mulheres que presentearão o marido.

O valor médio previsto para ser gasto com o presente também é maior quando perguntado aos homens: eles pretendem gastar em média R$ 164,00 – já as mulheres, R$ 114,00.

Compras à vista

Entre as formas de pagamento que os consumidores pretendem utilizar para comprar o presente do Dia dos Namorados, destaca-se o pagamento à vista e o dinheiro é a principal modalidade (57,7%), bem à frente da escolha pelo cartão de débito (7,1%). É importante destacar também o cartão de crédito à vista (16,4%) e o cartão de crédito parcelado (15,7%). “Isso mostra que a grande maioria das pessoas, cerca de 65%, vão comprar presentes à vista. O momento é de fazer reservas e não se endividar, e o pagamento parcelado de presentes pode prejudicar o pagamento de contas básicas no futuro”, explica a economista do SPC.

A pesquisa também revelou que a roupa é o principal item escolhido para presentear no Dia dos Namorados, com 46,5% das respostas. Logo após aparecem calçados (22,2%), perfumes ou cosméticos (22,2%), acessórios de moda (10,3%) e o próprio jantar como presente (8,1%). O shopping center é o principal lugar onde as pessoas têm a intenção de comprar os presentes (45,3%), mas também aparecem as lojas de rua (22,8%) e as lojas virtuais (9,7%).

Quanto à da comemoração no 12 de junho, quase metade dos entrevistados (49,3%) disse que celebrará a data em casa – apenas 18,5% pretender sair para restaurantes. Tal comportamento pode ser interessante em tempos de crise: a comemoração em casa pode ser mais barata do que a saída a restaurantes. A comemoração em motéis aparece em terceiro lugar com 8,1% das citações.

Fonte: Portal No Ar

Prazo para aderir ao Simples Nacional termina nesta sexta-feira

As micro e pequenas empresas em atividade que desejam alterar o regime atual de tributação e aderir ao Simples Nacional têm até a próxima sexta-feira para fazer a opção pelo sistema. Caso o pedido de alteração seja aceito, a mudança retroagirá ao dia 1º de janeiro. Seperder o prazo, a migração só poderá ser feita no início de 2016.

A solicitação de opção pelo regime de tributação simplificado deve ser feita no Portal do Simples Nacional na internet ( http://www8.receita.fazenda.gov.br/SimplesNacional/ ), clicando em Simples Nacional Serviços; Solicitação de Opção pelo Simples Nacional. O contribuinte pode acompanhar o andamento e o resultado final da solicitação em Acompanhamento da Formalização da Opção pelo Simples Nacional.

A análise da solicitação é feita pela União, por estados e municípios em conjunto. Portanto, a empresa não pode ter pendências com nenhum ente federativo. O prazo de opção atende também as novas atividades autorizadas pela Lei Complementar 147, de agosto de 2014, como medicina, veterinária, odontologia, engenharia, entre outras, que podem fazer parte do novo regime.

O agendamento da opção pelo Simples Nacional é a possibilidade do empreendedor manifestar o interesse em optar pelo regime tributário para o próximo ano, antecipando, assim, as verificações de pendências impeditivas à adesão. As empresas que já se enquadraram ao sistema não precisam optar novamente, pois já estão automaticamente cadastradas. Vale destacar que as empresas que apresentarem pendências ficarão em análise para que os problemas sejam resolvidos juntos à Receita Federal.

Quem quiser desistir do Simples pode fazê-lo a qualquer momento. No entanto, se for para o mesmo ano, é necessário que o desenquadramento seja solicitado em janeiro. Caso contrário, a desvinculação só valerá para o ano seguinte.

O Simples Nacional abrange os seguintes tributos: IRPJ, CSLL, PIS/Pasep, Cofins, IPI, ICMS, ISS e a Contribuição Patronal Previdenciária para a Seguridade Social (CPP). O recolhimento é feito por um documento único de arrecadação que deve ser pago até o dia 20 de cada mês.

 

Fonte: Brasil Ecônomico

O que é o Simples Nacional?

0007843156K-849x565

O Simples Nacional (ou Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte) é um regime simplificado de pagamento de tributos que foi criado para beneficiar as micro e pequenas empresas. Para aderir, além da limitação de faturamento (inferior a 3,6 milhões reais por ano), é fundamental que a atividade da empresa possibilite que faça parte desse regime e que os sócios não possuam impedimentos.

O regime Simples Nacional destaca-se pelo recolhimento tributário unificado dos impostos do simples:

Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ);
Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);
Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL);
Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS);
Contribuição para o PIS/Pasep;
Contribuição Patronal Previdenciária (CPP);
Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS);
Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS).

No Simples, o cálculo do valor devido mensalmente é feito por meio da aplicação, sobre a receita bruta mensal, de uma das alíquotas constante das diversas tabelas previstas na legislação, aplicáveis de acordo com o tipo de atividade. No caso do comércio, a alíquota varia de 4% a 11,61%; na indústria, de 4,5% a 12,11%; e na maioria dos serviços, de 6% a 17,42%.

O regime pode reduzir a carga tributária A maioria das micro e pequenas empresas paga menos impostos com essa integração. Mas vale lembrar que, cada caso deve ser analisado individualmente.

Com informações da Revista Exame.

3 dicas para conquistar a confiança do cliente

vendedoraImagine uma marca que você adora. Certamente você entregaria a essa empresa, suas informações pessoais, recomendaria aos seus amigos e teria preferência em comprar produtos dessa marca. Do lado de cá do balcão, o empreendedor vive em um mercado de pessoas desconfiadas. Criar uma reputação de confiança exige o comprometimento contínuo com a integridade.

Ganhar a confiança de alguém é difícil e requer tempo. Ao mesmo tempo, pode ser facilmente perdida num instante. O professor de comportamento organizacional na Universidade de Stanford, Roderick Kramer, afirma que um dos maiores desafio para as empresas é a fragilidade da confiança.

Para conquistar a confiança dos seus consumidores, eles precisam acreditar que sua empresa:

  1. Presta bastante atenção aos interesses deles
  2. É capaz de cumprir suas promessas
  3. É honesta e autêntica

Existem algumas técnicas que ajudam a construir uma imagem confiável de sua empresa. Conheça três:

1. Concentre-se em fazer bem seu trabalho

“A maioria das empresas se preocupa demais em saber se são confiáveis ou não”, diz Kramer. Em vez disso, deveriam gastar suas energias em cumprir com o que foi prometido. “Gestão tem a ver com agir de forma coerente com o discurso em cada atitude”, reforça o professor. Se o empresário tem de pedir aos outros que confiem nele, é porque está fazendo um trabalho ruim.

2. Seja transparente sobre seus erros

As pessoas têm uma preferência natural por esconder seus erros. Mas é preciso ser o mais discreto e aberto possível. “Qualquer indício de mistério, dissimulação ou desonestidade pode acabar com a sua imagem pública”, afirma Kramer. Quando você errar, assuma imediatamente, compartilhe o que está fazendo para corrigir e siga adiante. Dar satisfação aos seus clientes faz com que reajam positivamente, e seu erro vai perder importância. Isso vale tanto para chefes quanto funcionários. Incentive a honestidade na empresa.

3. Mantenha-se sempre alerta

Construir uma reputação confiável não é uma ação pontual. A confiança é colocada à prova todas as vezes em que um consumidor utiliza seu produto ou serviço. “A construção da confiança e a manutenção desse status exige atenção e dedicação contínua”, diz Kramer. Uma vez conquistada, a confiança precisa ser mantida.

Se você tem dúvidas de que o esforço vale a pena, pense assim: cumprir suas promessas é o seu negócio. Se você não cumprir, não existe slogan que faça milagre.

test1cli

Fonte: Blog Sebrae

Quatro dicas para gerenciar suas notas fiscais

O processo de emissão e recebimento de notas fiscais exige atenção e cuidado, mas com algumas dicas é possível tornar a tarefa mais fácil e com gasto de tempo muito menor. 0007843179K-1920x1280Por isso é fundamental ter tudo muito bem organizado para não gerar prejuízos para o seu negócio.
Veja abaixo, algumas dicas que podem ajudar você na administração das notas fiscais.

Crie e mantenha uma rotina
Um bom gerenciamento de notas fiscais começa com a execução de processos de forma rotineira, de modo que eles sejam feitos sempre que precisar. Para definir esses processos, organize o local no qual as notas fiscais vão ficar.
Ex.: as de papel, coloque uma caixa de entrada, e outra de saída, guarde os documentos que não serão utilizados a curto prazo. Deixe tudo bem indicado e separado para não haver a chance de alguma nota se misturar com as demais. Já os documentos digitais, separe por pastas, seguindo o mesmo critério de indicação e organização para que nada se perca.

Atenção a datas, valores e outras informações
Fique atento às datas de vencimento e emissão das notas, para não perder nenhum prazo. As que tiverem emissão ou vencimento próximos poderão ser agrupadas. Além disso, repare se a data de envio e recebimento das notas dos fornecedores ou clientes são próximas.

Atente-se aos valores das notas fiscais! Qualquer perda de prazo ou não pagamento de qualquer nota, gerará prejuízo. E mais, lembre-se de verificar as informações de emissão da nota, junto aos fornecedores e órgãos públicos.

Modernize o registro fiscal
Utilizar programas para controlar as notas fiscais é uma boa ação para evitar erros e facilitar a vida do empreendedor. Invista em sistemas integrados. O programa vai ajudar no lançamento de informações e no acompanhamento de prazos, controle de valores e qualquer outra informação relacionada à nota fiscal. O sistema também pode ajudar na interação com outras partes da empresa e incluindo a área de contabilidade que deve estar ciente de todas as movimentações fiscais do negócio.

Tenha um bom relacionamento com todos que o cercam
Ter uma boa relação com fornecedores, clientes e órgãos governamentais é muito importante. Mantenha um bom relacionamento com todos os que fazem emissões de notas para seu negócio, pois assim poderão lhe ajudar com qualquer problema que surgir.

Presença de farmacêutico em drogarias se torna obrigatória

Foi publicada na nesta segunda-feira (11), no Diário Oficial da União, a Lei 13.021, que Atorna obrigatória a presença de um farmacêutico em drogarias, durante todo o horário de funcionamento. Com a norma, as farmácias deixarão de ser apenas estabelecimentos comerciais e passarão à condição de prestadoras de serviços de assistência à saúde.

Segundo o Conselho Federal de Farmácia, medir pressão, glicemia, aplicar soro e vacinas estão entre os exemplos de serviços que a norma permite que sejam prestados nas farmácias.

Outra função que caberá ao profissional é notificar os profissionais de saúde, órgãos sanitários e o laboratório industrial sobre efeitos colaterais, reações adversas, intoxicações e dependência de medicamentos.

A nova lei, que entra em vigor em 43 dias, prevê ainda que as drogarias devem ter instalações adequadas sob o aspecto sanitário. Elas deverão ter equipamentos necessários à conservação de imunobiológicos, como vacinas e outros equipamentos exigidos pela vigilância sanitária.

Há 20 anos no Congresso Nacional, a nova lei altera a Lei de Controle Sanitário do Comércio de Drogas e Medicamentos (Lei 5.991/1973), que atualmente exige a presença de “técnico responsável, inscrito no Conselho Regional de Farmácia”, o que permitiu a interpretação de que os técnicos podem ser profissionais de nível médio. Além disso, admite a substituição por “prático de farmácia” ou “oficial de farmácia”, em localidades sem o profissional exigido.

Fonte: Agência Brasil

4 dicas para fazer o planejamento financeiro de sua empresa

Planejamento é sempre um tema em discussão entre empreendedores. O desafio de manter o sucesso e crescimento sem perda de qualidade exige todo cuidado das empresas, e planejamento é essencial para isso. Veja as dicas abaixo:

Tenha um calendário
Para se planejar é importante saber como e quando se dão as movimentações financeiras. Crie um calendário colocando as datas de despesas e recebimentos. Isso será útil para o planejamento mensal, fazendo com que você saiba qual será sua renda e evitando que fique no vermelho.

Adote um de sistema de custos
Definir valor de custo nunca foi uma tarefa fácil. A estrutura básica de um sistema de custos é composta pelos seguintes elementos: sistema de custeio, modalidade de custeio e sistema de acumulação de custos. Isso deve estar em seu planejamento, já que é uma maneira de saber quanto é possível lucrar.
Decida qual será o seu sistema de produção (contínuo ou por encomenda), que orientará como será feita acumulação de custos. A partir dele segue a decisão do sistema de custeio (histórico ou predeterminado). E, por último, como será feito o custeio (por absorção ou variável).

Faça o planejamento orçamentário anual
Fundamental para planejar o ano seguinte do empreendimento. É possível dividir as questões principais em áreas, com objetivos e metas quantificadas, entre marketing, RH, pesquisa e desenvolvimento, estoque, TI, PDV e etc. Este plano deve ser detalhado e possuir metas gerais mensais – que deverão ser passadas aos funcionários e sempre checadas.

Estabeleça audição de registros e conferência de documentos
A burocracia existe e é impossível fugir dela. Entenda quais os processos de registro e documentação necessários para evitar erros e dores de cabeça. Atenção às emissões de notas, cupons e todo tipo de documentação que precisa estar à mão, seja para a auditoria, contadores, administradores ou para o governo.

Isso ajudará a enxergar todas as movimentações financeiras, como você paga fornecedores, recebe dos clientes, administra as despesas. Ao verificar documentos e registros, é possível planejar como organizá-los.

.
.

Com informações do portal Administradores.
_________________________________________________________________________
*Com o Trade Solution, você pode ter um maior controle do planejamento financeiro da sua empresa. O sistema integra diversos processos e permite um acesso rápido e atualizado da movimentação da empresa. Saiba mais: http://goo.gl/Y2teS3

O que é NFC-e?

A NFC-e ou a Nota Fiscal ao Consumidor Eletrônica, é um documento eletrônico (arquivo de computador) que substituirá as notas fiscais de venda a consumidor, modelo 2 e o cupom fiscal emitido por ECF com grandes vantagens para as empresas, para o Fisco e para a sociedade.

Pretende reduzir custos de obrigações acessórias aos contribuintes, ao mesmo tempo possibilitando o aprimoramento do controle do fisco. Com a NFC-e, o consumidor também é beneficiado, ao possibilitar a conferência da validade e autenticidade do documento fiscal recebido em tempo real.

Ou seja, se você emite Cupom Fiscal ou Nota Fiscal Modelo 02, a NFC-e será em breve uma realidade para sua empresa.

Vendas na Páscoa devem ter a menor alta em 10 anos em 2014, diz CNC

As vendas de produtos para a Páscoa devem crescer 3,7% em 2014, aponta previsão da Divisão Econômica da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

A previsão aponta para o pior resultado dos últimos dez anos. Em 2004 as vendas da Páscoa tiveram queda de 4,5%.

No ano passado a data registrou crescimento de 4,9% em comparação a 2012.

O encarecimento do crédito ao consumidor e o comportamento dos preços são os principais responsáveis pela desaceleração nas vendas, diz.

“De acordo com dados de março do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15), os produtos e serviços mais demandados durante a Semana Santa acumulam alta de 8,6% nos 12 meses encerrados em março, destacando-se as variações positivas nos preços dos seguintes itens: passagem aérea (+14,8%), cerveja (+11,4%) e pescados (+9,9%)”, ressalta a divulgação.

Há, contudo, oscilações menores que o índice: tarifas de pedágio (+0,3%), chocolates (+1,1%) e demais bebidas alcoólicas (+1,8%).

Em comparação ao acumulado nos 12 meses encerrados em março de 2013, os itens de maior demanda durante a Semana Santa subiram 7,5%.

Fonte: G1